quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Giz- Legião Urbana

E mesmo sem te ver
Acho até que estou indo bem
Só apareço, por assim dizer
Quando convém aparecer
Ou quando quero
Quando quero

Desenho toda a calçada
Acaba o giz, tem tijolo de construção
Eu rabisco o sol que a chuva apagou
Quero que saibas que me lembro
Queria até que pudesses me ver
És parte ainda do que me faz forte
E, pra ser honesto,
Só um pouquinho infeliz

Mas tudo bem
Tudo bem, tudo bem... (2x)
Lá vem, lá vem, lá vem
De novo:
Acho que estou gostando de alguém
E é de ti que não me esquecerei

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

The Blood Is Love

I saw you, in a way
Beyond figure out
These lines of life have been drawn & can't be removed
Our eyes is all it took to know

Open up your eyes
Deep blue, glassy lake
& swim 'til water & sky
Now are one, out of two
Oh, my bloodshot eyes

Open up your mouth
Touch your lips to mine
That we may make a kiss that can pierce through death & survive
Your words have branded my mind

Still i hold your hand
Wrapped as if a ring
We of flesh & blood are only carrying
It's so hard to

Well, you know

The seed waits for the reaper to sew
Every breath an art
The dignity to learn it can strain & break your heart
Take all your pieces home
You ask when you're alone, "what is love"
The blood is love

Queens of stone age

domingo, 13 de dezembro de 2009

Dos Três Mal-amados Palavras De Joaquim

O amor comeu meu nome, minha identidade, meu retrato

O amor comeu minha certidão de idade, minha genealogia, meu endereço

O amor comeu meus cartões de visita, o amor veio e comeu todos os papéis onde eu escrevera meu nome

O amor comeu minhas roupas, meus lenços e minhas camisas

O amor comeu metros e metros de gravatas

O amor comeu a medida de meus ternos, o número de meus sapatos, o tamanho de meus chapéus

O amor comeu minha altura, meu peso, a cor de meus olhos e de meus cabelos

O amor comeu minha paz e minha guerra, meu dia e minha noite, meu inverno e meu verão

Comeu meu silêncio, minha dor de cabeça, meu medo da morte

Cordel do Fogo Encantado

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Quem sou eu?

"Sou um monstro ou isto é ser uma pessoa?
Quero antes afiançar que essa moça não se conhece senão através de ir vivendo à toa. Se tivesse a tolice de se perguntar "quem sou eu?" cairia estatelada e em cheio no chão. É que "quem sou eu?" provoca necessidade. E como satisfazer a necesidade? Quem se indaga é incompleto."
C. Lispector

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Pensando bem

Em tudo o que a gente vê, vivencia, ouve e pensa...
Não existe uma pessoa certa pra gente.
Existe uma pessoa que se você for parar pra pensar
É, na verdade, a pessoa errada.
Porque a pessoa certa faz tudo certinho,
Chega na hora certa, fala as coisas certas, faz as coisas certas.
Mas nem sempre a gente tá precisando das coisas certas.
Aí é a hora de procurar a pessoa errada.
A pessoa errada te faz perder a cabeça
Fazer loucuras, perder a hora, morrer de amor.
A pessoa errada vai ficar alguns dias sem te procurar
Que é pra na hora que vocês se encontrarem
A entrega ser muito mais verdadeira.
A pessoa errada é, na verdade, aquilo que a gente chama de pessoa certa
Essa pessoa vai te fazer chorar
Mas uma hora depois vai estar enxugando suas lágrimas
Essa pessoa vai tirar seu sono
Mas vai te dar em troca uma noite de amor inesquecível
Essa pessoa talvez te magoe
E depois te enche de mimos fazendo vocês esquecerem o que passou
Essa pessoa pode não estar 100% do tempo ao seu lado
Mas vai estar 100% dentro do seu coração
E também vai estar o tempo todo pensando em você.
Todo mundo um dia tem que ter uma pessoa errada
Porque a vida não é certa. Nada aqui é certo.
O que é certo mesmo, é que temos que viver cada momento, cada segundo
Amando, sorrindo, chorando, emocionando, pensando,
agindo,querendo,conseguindo
E só assim é possível chegar àquele momento do dia
Em que a gente diz: "Graças à Deus deu tudo certo"
Quando na verdade tudo o que ele quer
É que a gente encontre a pessoa errada
Pra que as coisas comecem realmente a funcionar direito pra gente...

Luis Fernando Veríssimo

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Entardecer

Iluminada seja a noite
Pois dela vivem todos
Os sábios boêmios.

Cortejada seja a rosa
Pois dela se extrai
O ardor das essências.

Contemplada seja a aurora
Pois dela se nota a poesia
Criada pela madrugada.

Inusitada seja a sua alegria
Pois é dela que encontro
A certeza da minha vida.

G. Gomez.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Pomplamoose

Um projeto muito legal. Muito legal mesmo!







Vinho De Perfume

Uma lida de eterno pulsar
Uma pluma boa pra deitar
Quando tarde principia
A nova rota de uma força que inrradia.

Nova ordem , nova rima
Nova cria da menina.

Ela tem ardor nos cabelos
Ela tem cheiro da minha vida
Ela tenta uma busca
Ela quebrou meu silêncio.

Abre os braços
E o mundo apenas começa
Enquanto dorme
Enquanto rir.

É bom que se diga
Que tua voz ainda ecoa
Que tua boca suplica
Que tua lama me ache.

G. Gomez

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Ilegais

Desse jeito vão saber de nós dois
Dessa nossa vida
E será uma maldade veloz
Malignas línguas
Nossos corpos não conseguem ter paz
Em uma distância
Nossos olhos são dengosos demais
Que não se consolam, clamam fugazes
Olhos que se entregam, ilegais

Eu só sei que eu quero você
Pertinho de mim
Eu, quero você dentro de mim
Eu, quero você em cima de mim
Eu quero você

Desse jeito vão saber de nós dois
Dessa nossa farra
E será uma maldade voraz
Pura hipocrisia
Nossos corpos não conseguem ter paz
Em uma distância
Nossos olhos são dengosos demais, demais
Que não se consolam, clamam fugazes
Olhos que se entregam, olhos ilegais

Eu só sei que eu quero você
Pertinho de mim
Eu, quero você dentro de mim
Eu, quero você em cima de mim
Eu quero você

Vanessa Da Mata

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Ucrânia Pop

Cover Ucraniano de Katy Perry

Estimulo para usar escadas!

Piegas


Quando as palavras falham e só resta a dor
Tudo que se pensa é no vazio do momento
Na certeza da perca que se perpetua
No compasso de cada segundo que segue.

O pulsar passar a ser seu
Se torna mestre da situaçao
Que esconde a mais pura lembrança.

É hora de calar
Aproveitar toda remota situação
De secar os lábios
E como no último minuto do palhaço
Abraçar o Olofote.

Eis que surge a sensação
De uma dia ter sido
De um minuto ter pensado
De uma vida ter existido.

G. Gomez

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Descoberta

Um dia se aprende o que se traga
Um dia se compreende o que se fala
Um tarde é tão quente e tão institiva
Uma tarde pode ser a chave de uma vida.

Na pergunta é que se entende a intenção
Na resposta é que se deixa a solução
No sorriso ela te deixa a medida certa
Na provavel certeza da porta aberta .

Daqui se pode tudo, se pode nada
Valor da partida ou da chegada
Pode ser apenas uma breve visão
Pode ser a força de uma grande paixão.

G. Gomez.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Secreto

Se ainda tem o mesmo dia pra mim
Se ainda pensa em como mentir
Se ainda sugere esquecer
Se apenas espera anoitecer.

Nem com toda força você tenta
Nem em toda boca você beija
Nem em toda sala você dança
Nem toda pessoa você ama.

É apenas um belo começo
Daquilo que um dia eu desejo
Ou mesmo do que você tanto quer
De um dia ser aquela mulher.

G. Gomez

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

NAMORE UM BARRIGUDINHO (palavras de uma psicóloga experiente)

Tenho um conselho valioso para dar aqui: se você acabou de conhecer um rapaz, ficou com ele algumas vezes e já está começando a imaginar o dia do seu casamento e o nome dos seus filhos, pare agora e me escute! Na próxima vez que encontrá-lo, tente disfarçadamente descobrir como é sua barriga.

Se for musculosa, torneada, estilo `tanquinho´, fuja! Comece a correr agora e só pare quando estiver a uma distância segura. É fria, vai por mim.

Homem bom de verdade precisa, obrigatoriamente, ostentar uma barriguinha de chopp. Se não, não presta. Estou me referindo àqueles que, por não colocarem a beleza física acima de tudo (como fazem os malditos metrossexuais), acabaram cultivando uma pancinha adorável. Esses, sim, são pra manter por perto. E eu digo por quê.

Você nunca verá um homem barrigudinho tirando a camisa dentro de uma boate e dançando como um idiota, em cima do balcão. Se fizer isso, é pra fazer graça pra turma e provavelmente será engraçado, mesmo. Já os `tanquinhos´ farão isso esperando que todas as mulheres do recinto caiam de amores - e eu tenho dó das que caem. Quando sentam em um boteco, numa tarde de calor, adivinha o que os pançudos pedem pra beber? Cerveja! Ou coca-cola, tudo bem também. Mas você nunca os verá pedindo suco. Ou, pior ainda, um copo com gelo, pra beber a mistura patética de vodka com `clight´ que trouxe de casa.


E você não será informada sobre quantas calorias tem no seu copo de cerveja, porque eles não sabem e nem se importam com essa informação. E no quesito comida, os homens com barriguinha também não deixam a desejar.

Você nunca irá ouvir um ah, amor, `Quarteirão´ é gostoso, mas você podia provar uma `McSalad´ com água de coco. Nunca! Esses homens entendem que, se eles não estão em forma perfeita o tempo todo, você também não precisa estar. Mais uma vez, repito: não é pra chegar ao exagero total e mamar leite condensado na lata todo dia! Mas uma gordurinha aqui e ali não
matará um relacionamento. Se ele souber cozinhar, então, bingo! Encontrou a sorte grande, amiga. Ele vai fazer pra você todas as delícias que sabe, e nunca torcerá o nariz quando você repetir o prato. Pelo contrário, ficará feliz.

Outra coisa fundamental:

Homens barrigudinhos são confortáveis!
Experimente pegar a tábua de passar roupas e deitar em cima dela. Pois essa é a sensação de se deitar no peito de um musculoso besta. Terrível!
Gostoso mesmo é se encaixar no ombro de um fofinho, isso que é conforto. E na hora de dormir de conchinha, então? Parece que a barriga se encaixa perfeitamente na nossa lombar, e fica sensacional.
Homens com barriga não são metidos, nem prepotentes, nem donos do mundo.
Eles sabem conquistar as mulheres por maneiras que excedem a barreira do físico. E eles aprenderam a conversar,a ser bem humorados, a usar o olhar e o sorriso pra conquistar. É por isso que eu digo que homens com barriguinha sabem fazer uma mulher feliz.

CARLA MOURA
PSICÓLOGA, ESPECIALISTA EM SEXOLOGIA




Dia Internacional da BARRIGA - Está chegando

Você, homem, quem está cansado de lutar contra balança, que se olha no "espelho" e vê aquela barriguinha e inveja o vizinho que gosta de andar "peladão" mostrando o abdômen bem definido etc.... não fique triste.
Lembre-se que o "palhaço malhador" ficou na academia por horas, lembre-se de quantas cervas ele evitou, guloseimas nem pensar, e tudo isto prá que?
Prá ficar na frente do espelho se achando bonitão?

O mundo inteiro sabe que quem gosta de homem bonito são os viados. Mulher quer homem inteligente, carinhoso e fofinho. Por isto está sendo lançado o dia 05 de Dezembro como o DIA INTERNACIONAL DOS BARRIGUDOS.

Chega de ter a consciência pesada após beber aquela cervejinha, ou aquele vinho, e comer aqueles petiscos. Vamos lotar os bares e restaurantes, vamos derrubar todas as cervas, vinhos, coca-cola e caipirinhas, comer aquela feijoada, macaxeira com charque, coxinhas e torresminhos. Vamos detonar aquela picanha gorda e o chantili com morangos.

Chegou a sua vez!! Salada, é o caralho!!

Nosso Lema: "Mais vale um barrigudinho bom de cama, do que um gostosão fracassado".
Nosso ìdolo: "Homer Simpson".
Nosso Dia: 5 de Dezembro, o dia Internacional dos Barrigudos.

Passe a diante para todos os barrigudos e simpatizantes!!

P.S.: E mandamos um recado para você "sarado gostosão": Enquanto você malha, sua namorada está tomando cerveja num motel, com um barrigudo!

domingo, 8 de novembro de 2009

Aprendendo Ingles

A hot day : arrotei

Apple pie : é pró pai

Because : doença- ele apanhou uma because.

Before : esteja fora

Bite : agredir- ele bite sempre nela.

Body : animal- o body mandou-me duas marradas.

Can : pergunta feita por quem tem amnésia- can sou eu?

Can´t : oposto de frio- o carro está can´t !!

Cream : roubar; matar; violar; “ele cometeu um cream”

Dark : parte de um provérbio conhecido: “é melhor dark que receber!”

Date : mandar alguém deitar: date aí, por favor; pretérito perfeito do verbo dar: eu date um bolo

Day : conceder algo- ontem eu day uma coisa a ela.

Eleven : mandar levantar, aumentar- eleven o nível da conversa.

Everybody : todos os bodes

Eye : gemido de dor- eye! eye! o meu pé!

Fail : oposto de bonito- ele é fail.

Few : cordão; cordel; barbante- dá-me esse few para amarrar este pacote

French : dianteira- saia da french, por favor !

Fried : oposto de quente- hoje está fried.

Go : aliviar, descarregar- aquele gajo ca-go!

Go ahead : golo de cabeça

Good ball : bola de gude

Head : ser- este homem não head norte!

He must go : ele mastigou

Her eyes : as dores dela

Highlights : olá luzes!

Ice : expressão de desejo- ice fosse minha …

Ice cream : crime no gelo

I’m alone - sou uma lona

Italy : estar- italy um burro!

Know how : saber latir

Late : líquido das vacas- as vacas dão late

Layout : fora da lei

Matte tea : frase usada por assassinos- bang! bang! matte tea!

May go : expressão de carinho: ai, ele é tão may go

Mickey : afirmativo de queimadura- mickey may.

Mister : sanduíche- eu quero um mister can’t.

Monday : dar uma ordem- ontem monday aquele gajo à merda

Morning : intermédio de frio e quente: o leite está morning

Paint : objeto- empresta-me o seu paint?

People : alimento à base de milho: adoro comer people-ca.

Pet thief : canalha; patife

Pie : chefe de família- o pie do joão.

Pose : partículas muito pequenas- eu snifo pose branco.

Put a kill par real : puta que pariu!

River : pior que fail- ele é river.

Sad : quando se necessitam líquidos- estou com sad!

Sea food : tramar-se; hoje em dia quem não sabe englês sea food todo…

She is cute : ela escuta

She is wonderful : queijo maravilhoso

Sick : estação de televisão: estou a ver a sick!

Somewhere : nome próprio: o somewhere é o irmão do pedro

The boy is behind the door : o boi está berrando the dor

To be champion : ser bi-campeão

To see : infinito do verbo tossir: ela estava sempre a to see

To sir with love : tossir com amor

Too much : legume: queria um snades com alface e too much, por favor

Try : forma de enganar: ele try a sua esposa.

Year : sair; partir: ela teve de year

Yellow : na companhia dela: saímos eu yellow.

Yellow river : ela é horrível

You : expressão de curiosidade: you seu irmão, como é que ele vai?

Vase : momento de jogada: agora é a minha vase

Welcome : coma bem; bom apetite

Window : expressão usada em despedidas- bem, eu vou window

With noise : connosco.

Coisas úteis para se fazer no elevador




1) Quando houver só uma pessoa no elevador, de um tapinha no ombro dela e finja que não foi você.


2) Aperte os botões do elevador e finja que eles dão choque. Sorria e faça de novo.


3) Se ofereça para apertar os botões para os outros, mas aperte os botões errados.


4) Segure a porta e diga que está esperando por um amigo. Depois de algum tempo deixe a porta fechar e diga: "Olá Zé. Como vai você?"


5) Deixe cair sua caneta e espere até alguém se oferecer para pegá-la; então grite: "Ei, é minha!"


6) Traga uma câmera e tire fotos de todos no elevador.


7) Traga uma mesa para dentro do elevador e quando alguém entrar, pergunte se marcaram hora.


8) Leve um Banco Imobiliário e pergunte para as pessoas se elas querem jogar.


9) Deixe uma caixa no canto, e quando alguém entrar, pergunte se elas ouviram um tique-taque.


10) Finja ser uma aeromoça e revise os procedimentos de emergência com os passageiros.


11) Pergunte: " Você sentiu isso?"


12) Fique bem perto de alguém, fungando seu cangote de vez em quando.


13) Quando a porta se fechar, fale: "Tudo bem. Não entrem em pânico. Ela abrirá novamente".


14) Mate moscas que não existem.


15) Diga às pessoas que você pode ver a aura delas.


16) Grite: "NINGUÉM É DE NINGUÉM...!! e apague as luzes",


17) Faça caretas enquanto bate dolorosamente na sua própria testa e murmure: "Calem a boca, todos vocês, calem a boca!".


18) Abra sua pasta ou bolsa, e enquanto olha dentro, pergunte: "Tem ar suficiente aí dentro?"


19) Fique quieto e parado no canto do elevador, encarando a parede.


20) Encare outro passageiro por um tempo, e grite com horror: "Você é um deles!" e recue devagar.


21) Coloque uma marionete na mão e use-a para falar com os outros.


22) Pegue um estetoscópio e ausculte as paredes do elevador.


23) Faça barulhos de explosão com a boca quando alguém apertar um botão.


24) Encare outro passageiro por um tempo, e fale: "Estou usando meias novas".


25) Desenhe um pequeno quadrado no chão com giz, e diga para os outros: "Este é o meu espaço".

Girias Inglës-Portuguës

Is we in the tape! = É nóis na fita.
Tea with me that I book your face = Chá comigo que eu livro sua cara.
I am more I = Eu sou mais eu.
Do you want a good-good? = Você quer um bom-bom?
Not even come that it doesn’t have! = Nem vem que não tem!
She is full of nine o’clock = Ela é cheia de nove horas.
I am completely bald of knowing it. = To careca de saber.
Ooh! I burned my movie! = Oh! Queimei meu filme!
I will wash the mare. = Vou lavar a égua.
Go catch little coconuts! = Vai catar coquinho!
If you run, the beast catches, if you stay the beast eats! = Se correr, o bicho pega, se ficar o bicho come!
Before afternoon than never. = Antes tarde do que nunca.
Take out the little horse from the rain = Tire o cavalinho da chuva.
The cow went to the swamp. = A vaca foi pro brejo!
To give one of John the Armless = Dar uma de João-sem-Braço.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Por entre os dedos

Me abaixo e apanho uma concha. O vento levanta a areia branca que toca meus pés. As ondas estão pequenas, quase marolas. Tem pouca gente na praia, pois ainda é muito cedo e não estamos em temporada de férias. Um senhor com um bigode esquisito de seus 50 anos passa ao meu lado a passos largos fazendo seus exercícios matinais. Uma mulher baixa e gorda levando um cão a tira colo tenta acompanhá-lo. Olho para a concha em minha mão. Branca com rajas marrons e pretas. Dou uns passos a frente e logo as ondas me acertam os tornozelos. A água esta fria. Sinto um leve tremor no corpo, mas logo a sensação se torna agradável. O céu esta azul como nunca esteve. Quase não há nuvens no céu. O sol brilha como se estivesse no seu máximo e a areia reflete seus raios me fazendo cerrar os olhos. Ergo o braço e arremesso a concha de volta ao mar com toda minha força. Ela bate na água, resvala e novamente sobe esbarrando de frente com uma onda. Some. Por um momento desejei esta no lugar da concha. Um vendedor de cocos passa e me oferece um, dispersando meus pensamentos.

Volto para a areia e me sento perto de onde as ondas morrem, ainda tocando meus calcanhares. A maré parece que esta enchendo, a tirar pelas ondas que cada vez mais avançam em minha direção. O silencio é quebrado por gritos de crianças que brincam com seus castelos de areia.

Escrevo palavras soltas na areia com a ponta dos dedos que as ondas insistem em apagar. Mais uma vez tive um desejo. Desejei que as ondas apagassem minhas memórias assim como as palavras. Desligo-me alguns segundos do mundo, mas logo volto ao real. O mundo não deixa muito tempo para os sonhos.

Olho para os lados e vejo que a praia não esta mais tão vazia.

Avisto ao longe, quase que imperceptível, um barco que logo desaparece entre as ondas.

O sol já começa a queimar minhas costas e me levando novamente. Entro no mar e deixo as ondas me acertarem. Uma a uma golpeiam meu corpo me fazendo balançar. Mergulho. Silencio. Calmaria. A água não esta mais tão fria e a sensação e confortante.

Mais silencio. Abro os olhos, mas não enxergo nada a frente. Sinto as ondas passarem sobre minha cabeça. O tempo parece que passa mais devagar. Vem-me na mente momentos de minha infância e novamente uma sensação de bem estar. Mesmo em baixo d’água avisto o sol que me observa imparcial. Resta-me pouco ar nos pulmões mas mesmo assim ainda mergulho mais fundo e toco a areia abaixo de mim. Apanho um punhado de areia e subo. Puxo todo o ar que é possível e sinto-o inundando meus pulmões. Nado de volta a praia e deixo lentamente a areia me escorrer por entre os dedos, assim como minha vida.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Bon Iver - Flume

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Por Que, distante ?

Distante Por Que?

Se tudo que ficava na estante vc quebrou...

Se tudo que eu tocava vc matava....

Se tudo que vc matava eu amava....


Distante Por Que?

Se nada é o inicio da sua dúvida....

Se nada é suplica da renuncia...

Se por nada vc clamava....


Distante Por Que?

Se nem fomos olhar o mar.....

Se nem começamos a chorar....

Se nem vontade vc tem de estar....


Distante Por Que?

Se é alguém que veio me dizer.....

Que no meio do tudo ou do nada....

Eu ainda sinto você.....


Distante Por Que?


G. Gomez

domingo, 18 de outubro de 2009

Biografia de uma despedida

Depois que você desligou o telefone me recordei da noite que você foi embora. Não sei se era pelo fato da certeza que eu tinha que nunca mais ia te ver, mas não me recordava de te ver tão linda como naquela noite.

Passamos o fim de tarde de sábado como sempre passávamos. Abraçados na grama da Praça Verde lendo o mesmo livro, depois subimos para o café e ambos pedimos um cappuccino, conversamos sobre coisas corriqueiras, talvez por medo de falar sobre sua partida. Pagamos a conta e fomos dar uma última volta. Apesar de não falarmos sobre o assunto você parecia empolgada com a viagem, já eu estava meio distante, pensando a respeito e ao mesmo tempo não querendo pensar sobre.

Paramos em frente a uma barraca de artesanato, você olhou algumas pulseiras e escolheu duas idênticas, azuis com o símbolo do infinito feito de metal prateado. Quando olhei você estendia a pulseira.

- Promete que nunca vai tirar do braço?

- Prometo.

Pagamos e nos dirigimos ao carro. Quando chegamos à sua casa, ajudei você a terminar as malas que faltavam. Colocamos na sala para facilitar. Você foi tomar banho enquanto eu fazia seu prato preferido, carbonara.

- Vou sentir falta de você cozinhando para mim.
Foi a primeira vez que você pareceu triste naquela dia.

- Sério Rapha, por que você não vai comigo?

- Amanda, já conversamos. Esse é seu plano não é meu. Não posso simplesmente largar tudo assim. Você já se prepara a tempos para isso. Eu não.

- É eu sei... Vou sentir muita falta... Da gente, desse último ano...

- Eu também, não duvide disso.

Depois que terminamos de comer, lavei os pratos enquanto você terminava de se arrumar. Pedimos o taxi para o aeroporto, fomos o caminho inteiro calados. Descemos. Acompanhei você até o Check-in. Depois até o embarque.
Foi quando você falou à frase que eu passei um ano esperando escutar.

- Eu te amo!

- Eu também te amo!

Rapidamente, você pegou sua mala de mão e se virou como se estivesse tentando evitar a despedida. E eu fiquei ali parado olhando você entrar na área de embarque. Sei que mesmo depois que você entrou ainda fiquei algum tempo lá parado, esperando, desejando que você mudasse de idéia e voltasse. Mas você não voltou. E como combinado, ambos nos mantemos distantes. Durante dois anos.

Biografia de um telefonema

- Alô?

- Rapha?

- Sim, quem fala?

- É Amanda

- Amanda?!

- Não se lembra mais de mim?!

- Lógico que lembro... É que já faz dois anos.

- Pois é. Faz muito tempo mesmo que nós não nos falamos.

- E como está às coisas, ainda está em Paris?

- Não, estou em Belo Horizonte. Vim passar o fim de ano aqui.

- Legal, como estão o Renato e a Gabi? Faz tempo que não falo com eles também.

- Estão bem, vamos sair daqui a pouco, eles ficaram de vim me pegar lá pelas 22h.

- Legal.

- E aí, vai sair hoje?

- Não, tô meio caseiro. Vou ficar em casa assistindo filme.

- No sábado? Que deprê!

- Nem tanto é legal ficar um tempo sozinho de vez enquanto.

- Ei, senti tua falta. Tenho pensado muito em ti nesses últimos meses.

- É você fez falta também.

- O Renato tava falando que talvez você viria para cá, é verdade?

- É eu tava pensando em ir.

- Mas você vem?

- Ainda não decidi.

- Hum... Ei vou me arrumar. Sabe como eu demoro né!

- Tá certo. Legal falar contigo.

- Também. Saudades de você! Beijo, amanhã te ligo de novo.

- Beijo, boa festa.

- Boa noite, tchau!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Ditados Nerds

- A pressa é inimiga da conexão

- Amigos, Amigos, senhas à parte

- Antes só, do que em chats aborrecidos

- Ao arquivo dado não se olha o formato

- Diga-me que chat freqüentas e te direi quem és

- Para bom provedor uma senha basta

- Não adianta chorar sobre o arquivo deletado

- Em briga de namorados virtuais não se mete o mouse

- Em terra off-line, quem tem 486 é rei

- Mais vale um arquivo no HD, do que dois baixando

- Mouse sujo se limpa em casa

- Melhor prevenir do que formatar

- Quando um não quer dois não teclam

- Quem clica seus males multiplica

- Quem não tem banda larga caça com modem

- Quem nunca errou, que aperte a primeira tecla

- Quem semeia e-mails, colhe spams

- Quem tem dedo vai a Roma.com

- Um é pouco, dois é bom, três já é Chat

- Vão-se os arquivos ficam os Back-ups

- Há dois tipos de pessoas na informática. Os que perderam o HD e os que ainda vão perder

- Uma impressora disse a outra: - Essa folha é sua ou a impressão é minha?

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Não Mais - Pato Fu

Vou parar ficar aqui
Não olhar ver você assim
Não vou morrer
Não vou matar
Nem sorrir muito menos vou chorar
Por você, por ninguém
Por você por ninguém nem por mim.

Deixa estar que tal mentir
E guardar o melhor pra mim
Não vou morrer nem sequer me abalar
Nem sorrir nem ao menos vou chorar
Quando você não mais, não mais.

Não vou morrer, nem sequer me abalar
Nem sorrir, nem ao menos vou chorar
Mas acredite, meu coração ainda sabe fingir
Por alguém que é ninguém, que é ninguém
Por alguém que é ninguém prá mim.

domingo, 4 de outubro de 2009

Teardrop - Massive Attack

Love, love is a verb
Love is a doing word
Fearless on my breath
Gentle impulsion
Shakes me makes me lighter
Fearless on my breath

Teardrop on the fire
Fearless on my breath

Night, night of matter
Black flowers blossom
Fearless on my breath
Black flowers blossom
Fearless on my breath

Teardrop on the fire
Fearless on my breath

Water is my eye
Most faithful mirror
Fearless on my breath
Teardrop on the fire of a confession
Fearless on my breath
Most faithful mirror
Fearless on my breath

Teardrop on the fire
Fearless on my breath

You're stumbling a little (x2)

Biografia de um encontro

Estava sentado no sofá, olhando aquelas pessoas se divertindo, quando te vi. Notei que você olhou rapidamente antes de se voltar para as pessoas que conversavam com você. Um tempo depois você se aproximou e sentou ao meu lado.

- Cansado ou bêbado?

- Nenhum dos dois.

- Então porque da distância?

- Simplesmente estou sentando.

- Interessante...

- O quê?

- Achava que essa história de se fazer de misterioso para atrair companhias era coisa de tiozões de 30 e poucos anos no meio de pessoas mais novas, não imaginava que caras com 25 faziam isso.

- Tenho 26, você errou por um.

- Mais interessante ainda. Eu te acuso e você não se defende.

-Não sou interessante. Só estou sentado.

-Hum, entendo! Falta de auto-estima.

-Pode ser!

-E o rapaz que não tem auto-estima, sentado no sofá sem estar bêbado ou cansado e que não quer dar uma de misterioso tem um nome?

- Raphael

-Prazer, Amanda.

Neste momento pensei no porque daquela conversa. Não estava ali por nenhuma razão que você citou, mas mesmo assim você pensou naquilo tudo. Também não conseguia entender como uma pessoa iniciava uma conversa com um estranho daquela forma. Tão sincera, intima.

-Bom Rapha, se é que eu posso te chamar de Rapha. O que está bebendo?

- Uísque

-E o que está achando da festa?

-Bom é uma festa. Não tem muito no que se pensar disso. São apenas pessoas na casa de um amigo interagindo.

-Você não estava interagindo com ninguém antes de eu sentar ao seu lado.

-Talvez por causa da minha falta de auto-estima

-Estou te incomodando?

- Não.

-Isso é bom! Você fuma?

-Sim

-Tem um cigarro?

-Claro

-Carlton Crema? Não conhecia esse. É forte?

-Não, é mais fraco que o vermelho.

Enquanto você acendia o cigarro eu pensei no porque você insistia naquela conversa. Foi quando eu me lembrei no que já tinham me dito, mas antes mesmo que eu terminasse o pensamento você falou.

-Você é daqueles caras que pensam em tudo não é?

-Como assim?

-Sei lá, acho que você está agora tentando analisar o porquê eu estou aqui falando com você, mesmo com esse seu desdém.

-Pode se dizer que sim

-Talvez seja pelo fato de eu achar isso interessante, ou talvez eu esteja pensando o mesmo, ou talvez não tenha explicação nenhuma. Mas no fim não importa por que independente do porque eu vou continuar aqui falando com você.

-O fato, de eu tentar entender as coisas te incomoda?

Foi nessa hora que você me beijou. Respondendo a minha pergunta e me deixando várias outras. Não lembro bem o que aconteceu depois disso. Sei que ficamos horas sentados naquele sofá e quando vi, a música já tinha acabado e restavam apenas algumas pessoas conversando baixo na escuridão da casa. Outras já dormiam amontoadas nos quartos, a carteira de cigarros já seca na mesinha em frente. Já não me sentia assustado com a maneira que você chegou. Quando você já tinha me desarmado, você me fez uma pergunta que nunca fui capaz de responder.

-Porque as pessoas mais difíceis de amar são sempre aquelas que mais precisam ser amadas?

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

The Fisher King

http://www.youtube.com/watch?v=4qo1Oi8lwtA&feature=related

The Fisher King - Park Scene

http://www.youtube.com/watch?v=RgMxaq_coRw

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

"A juventude é a paixão pelo inútil".

- La jeunesse, c'est la passion pour l'inutile. Oeuvres‎ - v.5, Página 119, de Jean Giono - Publicado por Editions Rombaldi, 1970

Desilusão

"No amor todos os caminhos acabam de forma igual - desilusão."
- Oscar Wilde

"A desilusão é a visita da verdade."
- Chico Xavier

"Amor é quando é concedido participar um pouco mais.
Amor é a grande desilusão de tudo mais.
Amor é finalmente a pobreza.
Amor é não ter inclusive amor.
É a desilusão do que se pensava que era amor.
Amor não é prêmio por isso não envaidece."
- Clarice Lispector

"Feliz do homem que não espera nada, pois nunca terá desilusões."
- Alexander Pope

"O amor é filho da ilusão e pai da desilusão."
- Miguel de Unamuno

"Recoloca no contador um desejo: abre-o; em seu lugar, encontrarás uma desilusão."
- Luigi Pirandello

O mundo ainda não está pronto

Quem acha que o mundo é tudo na vida
Infelizmente não sabe de nada
Inclusive eu também não sei
Inclusive eu também não sei
Mas pelo menos eu estou, eu estou

Eu estou aqui gritando:
AAAHHHHH, eu estou aqui gritando
É engraçado que alguém
Possa dar atenção
A qualquer assunto de hoje em dia

Ou então trocar uma menina quente e macia
Por um jornal nacional
Ou um disco de gritaria
Quem me dera uma guerra das antigas pra lutar
Infundindo nos cães o terror

O terror é popular

Pato Fu

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Antes que seja tarde

olha, não sou daqui
me diga onde estou
não há tempo não há nada
que me faça ser quem sou
mas sem parar pra pensar
sigo estradas,sigo pistas pra me achar

nunca sei o que se passa
com as manias do lugar
porque sempre parto antes que comece a gostar
de ser igual, qualquer um
me sentir mais uma peça no final
cometendo um erro bobo, decimal

na verdade continuo sob a mesma condição
distraindo a verdade, enganando o coração

pelas minhas trilhas você perde a direção
não há placa nem pessoas informando aonde vão
penso outra vez estou sem meus amigos
e retomo a porta aberta dos perigos

na verdade continuo sob a mesma condição
distraindo a verdade, enganando o coração

Pato Fu

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Roubado do Perfil do Henrique

"Eu não conheço o propósito do destino humano. Não sei por que razão existo no grande esquema místico das coisas, mas de uma coisa estou certo, agora e sempre... Enquanto houver vida em meu corpo, enquanto o sangue correr em minhas veias, eu farei o que meu coração e consciência ditarem.
Jamais causarei mal a outro ser e vou agir com todos como gostaria que agissem comigo.
Se tais atos me causarem tristeza, então com orgulho suportarei tal fardo, seguro de saber que fiz o melhor. Homem algum pode fazer mais."

"Não tenho um destino.
Vou para onde os ventos do acaso me levam.
Eu conheci a precipitada exaltação da vitória e a dor torturante da derrota. Mas jamais poderei deixar de buscar um oásis de sanidade nesse deserto de loucura que os homens chamam Terra. Pois o pior de todos os destinos nestes incontáveis mundos e infinitas estrelas é ser eternamente sozinho."

- Surfista Prateado

===================================

"O universo nos coloca em lugares e situações onde possamos aprender e crescer. Não são lugares fáceis, mas são os certos. Onde quer que estejamos, é o lugar certo na hora certa.
A dor, que por ventura venha, faz parte do processo de constante renascimento"

- Delenn, A Distant Star

===================================

”Eu acredito que ao deixarmos um lugar, parte dele vai conosco e uma parte nossa fica. Vá em qualquer lugar da estação, quando houver silêncio, e escute. Após um tempo você ouvirá os ecos de todas as nossas conversas, cada pensamento e palavra que trocamos. Muito depois que nos formos, nossas vozes ainda soarão por estas paredes, enquanto este lugar existir. Mas eu reconheço que a parte de mim que se vai, sentirá muita falta da parte de você que fica.”

- G’Kar, Objects in Motion

===================================

"De tempos em tempos... você cometerá erros. Eles são inevitáveis. As vezes esses erros serão enormes. O que importa é que você aprenda com eles. Não há nada errado em cair... sempre que termine cinco centímetros mais alto quando se levantar do chão.
As Vezes... você pode acabar muito longe de casa. E não se sentirá seguro de onde pertence... mas seu lar sempre estará aí. Porque lar não é um lugar. É onde quer que tua paixão te leve.
E ao continuar teu caminho... você perderá alguns amigos e ganhará novos. O processo é doloroso, mas é muitas vezes necessário. Eles mudarão e você mudará, porque a vida é mudança. De tempos em tempos eles encontrarão seus próprios caminhos e talvez esses caminhos não sejam o seu. Aprecíe-os pelo que eles são... e lembre-se deles pelo que eles foram.
Eu realmente acredito que cedo ou tarde, não importa o que aconteça... As coisas se ajeitam.
Teremos momentos difíceis. Nós sofreremos. Perdemos gente amada. O caminho nunca é fácil. Nunca se imaginou que fosse fácil. Mas no final das contas... se você permanece fiel ao que você acredita... as coisas se acertarão.
Sempre esteja disposto a lutar pelo que você acredita. Não importa se 1000 pessoas concordem com você ou uma pessoa concorda com você.
Não importa se você estiver completamente sozinho. Lute pelo que você acredita."

- John Sheridan, Objects at Rest

domingo, 6 de setembro de 2009

Piano Bar - Engenheiros do Hawaii

O que você me pede eu não posso fazer
Assim você me perde, eu perco você
Como um barco perde o rumo
Como uma árvore no outono perde a cor.

O que você não pode, eu não vou te pedir.
O que você não quer, eu não quero insistir.
Diga a verdade, doa a quem doer.
Doe sangue e me dê seu telefone.

Todos os dias eu venho ao mesmo lugar,
Às vezes fica longe, impossível de encontrar
Mas, quando o Bourbon é bom
Toda noite é noite de luar.

No táxi que me trouxe até aqui Willie Nelson me dava razão,
As últimas do esporte, hora certa, crime e religião.
Na verdade 'nada' é uma palavra esperando tradução.

Toda vez que falta luz,
Toda vez que algo nos falta
O invisível nos salta aos olhos,
Um salto no escuro da piscina.

O fogo ilumina muito por muito pouco tempo
Em muito pouco tempo, o fogo apaga tudo.
Tudo um dia vira luz.
Toda vez que falta luz
O invisível nos salta aos olhos.

Ontem à noite, eu conheci uma guria
Já era tarde, era quase dia.
Era o princípio num precipício.
Era o meu corpo que caía.

Ontem à noite, a noite tava fria
Tudo queimava, mais nada aquecia.
Ela apareceu, parecia tão sozinha.
Parecia que era minha aquela solidão.

Eu conheci uma guria que eu já conhecia
de outros carnavais com outras fantasias
Ela apareceu, parecia tão sozinha.
Parecia que era minha aquela solidão.

Pra Ser Sincero - Engenheiros do Hawaii

Pra ser sincero
Não espero de você
Mais do que educação
Beijo sem paixão
Crime sem castigo
Aperto de mãos
Apenas bons amigos...

Pra ser sincero
Não espero que você
Minta!
Não se sinta capaz
De enganar
Quem não engana
A si mesmo...

Nós dois temos
Os mesmos defeitos
Sabemos tudo
A nosso respeito
Somos suspeitos
De um crime perfeito
Mas crimes perfeitos
Não deixam suspeitos...

Pra ser sincero
Não espero de você
Mais do que educação
Beijo sem paixão
Crime sem castigo
Aperto de mãos
Apenas bons amigos...

Pra ser sincero
Não espero que você
Me perdoe
Por ter perdido a calma
Por ter vendido a alma
Ao diabo...

Um dia desse
Num desses
Encontros casuais
Talvez a gente
Se encontre
Talvez a gente
Encontre explicação...

Um dia desses
Num desses
Encontros casuais
Talvez eu diga:
-Minha amiga
Pra ser sincero
Prazer em vê-la!
Até mais!...
Nós dois temos
Os mesmos defeitos
Sabemos tudo
A nosso respeito
Somos suspeitos
De um crime perfeito
Mas crimes perfeitos
Nunca deixam suspeitos...

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

A Felicidade

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranquila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor

A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira
e tudo se acabar na quarta feira

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a pluma
Que o vento vai levando pelo ar
Voa tão leve
Mas tem a vida breve
Precisa que haja vento sem parar

A minha felicidade está sonhando
Nos olhos da minha namorada
É como esta noite
Passando, passando
Em busca da madrugada
Falem baixo, por favor
Prá que ela acorde alegre como o dia
Oferecendo beijos de amor

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

Tom Jobim

Ao eterno...

Quero expurgar de minha alma a ira que consome cada sorriso do meu rosto. A dor que aperta o peito, as lágrimas que descem a cada lembrança de ti. A linha tênue do ver e não tocar já se mostra como corda de forca que tira meu fôlego a cada respiro lacônico em tuas passagens. Se amar é dor, prefiro morrer dormindo. Incapaz de sentir. Meu coração calejado, como mão de sertanejo, já não suporta mais cicatrizes.

Não quero esperar mais pelo tempo. Ele não me serve mais. Ele não cura mais. Apenas apara as arestas, para que mais uma vez eu escreva palavras como estas... Para que mais uma vez eu chore, para mais uma vez constatar a verdade indubitável que sem ti não sou nada.

Os poetas têm a poesia, os boêmios a boêmia. E o que resta para mim? Um traço incompleto no papel, esperando pelo infinito. Esperando pelo “eterno enquanto dure”. Enquanto isso o único eterno que minha vida conhece é o buraco que tua ausência deixa. O vácuo de felicidade que se torna cada vez maior, consumindo qualquer esperança... Assim como a sombra consome a luz no fim da tarde.

Na descontente solenidade de esperar qualquer palavra tua, aguardo calado e distante, me apegando na felicidade alheia... Sugando os sorrisos dos outros e esperando que algum dia esses sorrisos sejam meus. E que sejam eternos enquanto durem...
Eu não existo sem você
Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver

Não há você sem mim
E eu não existo sem você

Livro de letras - Página 40, de Vinícius de Moraes, José Castello - Publicado por Companhia das Letras, 1991, ISBN 8571642133, 9788571642133 - 253 páginas
Meu Deus, eu quero a mulher que passa
Seu dorso frio é um campo de lírios
Tem sete cores nos seus cabelos
Sete esperanças na boca fresca!
Oh! como és linda, mulher que passas
Que me sacias e suplicias
Dentro das noites, dentro dos dias!

Antologia poética‎ - Página 90, de Vinicius de Moraes - Publicado por Editôra do Autor, 1965 - 259 páginas

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Moraes

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Palavras...

Porque só no fim nós valorizamos as coisas boas que aconteceram em nossas vidas? As despedidas sempre tiveram um gosto mais doce do que os encontros. Pelo menos para mim. Talvez seja por conta do fim de ciclo. Ou talvez seja pela incapacidade de me sentir parte de algo... É tenho que confessar! Nunca me senti pleno em ocasião alguma! Sempre me faltou algo. Nunca soube dizer o quê. Mas sempre me senti num sofá, assistindo um filme que algumas vezes se mostrava uma comédia, outras um drama e isso sempre me trouxe uma certa inquietação, que ao longo dos anos fui aprendendo a camuflar. Às vezes pro outros, às vezes para eu mesmo. No entanto nunca me vi livre, não desse sentimento, do sentimento de falta... De uma saudade de algo que nunca vi, nunca conheci... É certo dizer que tal sentimento assola várias pessoas nos dias de hoje. Concordo plenamente com isso! Mas, pelo menos todas as pessoas que me foram apresentadas e que pude identificar tal sentimento, sempre se “curavam”. Talvez por comodismo, ou quem sabe por realmente encontrarem o que lhes faltava. Independente disso, sempre fiquei a margem de tal solução. E a cada dia que passa vou percebendo que talvez não seja esse o meu destino.
Apesar disso tudo não posso reclamar da minha vida, realmente não posso ser tão ingrato assim. Afinal vivo numa condição boa... Ótima família, saúde, não passo por necessidades financeiras, pelo menos não aquelas desesperadoras. No entanto minha necessidade se manifesta na incapacidade de ser feliz, feliz de fato, e quando penso nisso fico ainda pior! Talvez eu realmente seja um ingrato! Entendam! Claro que tive MOMENTOS felizes, porém como disse, foram momentos, e quando penso neles nem posso afirma certeiramente se realmente de fato foram felizes. Lembro apenas de uma ocasião que com certeza me senti completo. Tinha sete anos, e estava na casa de minha avó materna. De repente, no início da tarde começa a chover. Corri para rua e deixei-me molhar. Apesar da chuva forte, as nuvens deixavam passar os feixes de luz do Sol e enquanto as gotas batiam em meu rosto, me senti seguro, senti que fazia parte de algo. Sentimento que nunca mais experimentei.
Tenho bons amigos. Tive bons amores. Porém nem esses me serviram para curar minha solidão. Não uma solidão material. Mesmo ao redor de todos os meus afetos ainda me sinto só... Como se eu não estive lá, ou como se eles não estivessem lá. Carência? Talvez! Não me nego mais a vergonha de conclusões, no entanto já me neguei a tempos tentar achar alguma condição que destrua esse sentimento da mesma maneira que ele me destrói. Minha vida é um filme cujo meu papel é de mero observador que teve o controle remoto negado.
Talvez meu erro seja esperar algo que não exista. Esperar algo que as pessoas que conheço não possam me dar! De esperar algo das pessoas que ainda nem conheci. De esperar um amor que me ame da mesma maneira que a amarei! Talvez... Afinal quantas vezes estendi a mão para aqueles que precisaram, mas enquanto eu me afundo ninguém sequer escuta minha angústia. Angústia que já existe há muito tempo, e simplesmente não passa. Uma dor que se aprende a conviver. E que com o passar do tempo já faz parte de você. Nem me imagino mais livre dela... Livre disso tudo... Livre... É tão verdade que os poucos que se deram trabalho de lerem até aqui, simplesmente esquecerão cada palavra, cada frase, cada lágrima deste texto. Afinal é como disse, são palavras. São apenas palavras... É como “eu te amo”. Simplesmente uma frase. Somente isso. Queremos muito ouvir isso, não é? Mas será que somos capazes de compreender o que está por trás das palavras?
Realmente é só no fim que nós valorizamos as coisas boas que aconteceram em nossas vidas...

sábado, 29 de agosto de 2009

"...De tanto eu te falar
Você subverteu o que era um sentimento e assim
Fez dele razão pra se perder
No abismo que é pensar e sentir..."

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Filtro Solar (no rabo) - Sunscreen

Só p/ rir um pouco! =D

http://www.youtube.com/watch?v=SQhFw5Me-8I

Pearl Jam - Jeremy



Não achei no Youtube o original que pudesse ser incorporado, mais aí vai o link do youtube. Ele é muito mais fôda!

http://www.youtube.com/watch?v=7uc-p8fbyEM

Letra traduzida

Em casa
Desenhando figuras
De topos de montanhas
Com ele no topo
Sol amarelo limão
Braços erguidos em V
Os mortos estendidos em poças de cor marron embaixo deles

Papai não deu atenção
Para o fato de que a mamãe não se importava
Rei Jeremy, o perverso
Governou seu mundo

Jeremy falou na aula de hoje

Me lembro claramente
Perseguindo o garoto
Parecia uma sacanagem inofensiva
Mas nós libertamos um leão
Que rangeu os dentes
E na hora do intervalo quebrou a fama de maricas
Como eu poderia esquecer
E me acertou com um soco de esquerda de surpresa
Meu maxilar ficou machucado
Deslocado e aberto
Assim como no dia
Como dia em que ouvi

papai não dava carinho
e o garoto era algo que mamãe não aceitaria
Rei Jeremy, o perverso
Governou seu mundo

Jeremy falou na sala de aula hoje (3x)
Woo (14x)
Tente esquecer isto
Tente apagar isto
Do quadro negro

Jeremy falou na sala de aula hoje (2x)
Woo (29x)
Woooooohhh
Falou na, falou na
Woooooohhh
Uh huh, uh huh...

Pearl Jam - Evolution

domingo, 23 de agosto de 2009

Judy and The Dream Of Horses

Judy wrote the saddest song
She showed it to a boy in school today
Judy, where did you go wrong?
You used to make me smile when I was down
Judy was a teenage rebel
She did it with a boy when she was young
She gave herself to books and learning
She gave herself to being number one
Judy, I don't know you if you're gonna show me everything
Judy, I don't know you if you're gonna show me everything

Judy got a book at school
She went under the cover with her torch
She fell asleep till it was morning
She dreamt about the girl who stole a horse
Judy never felt so good except when she was sleeping
Judy never felt so good except when she was sleeping

Judy, let's go for a walk
We can kiss and whatever you want
But you will be disappointed
You will asleep with ants in your pants
Judy, you're just trying to find and keep the dream of horses
And the song she wrote was judy and the dream of horses
Dream of horses
You dream of horses

The best looking boys are taken
The best looking girls are staying inside
So judy, where does that leave you?
Walking the street from morning to night
With a star upon your shoulder lighting up the path that you walk
With a parrot on your shoulder, saying everything when you talk
If you're ever feeling blue
Then write another song about your dream of horses
Write a song about your dream of horses
Call it judy and the dream of horses
Call it judy and the dream of horses
You dream of horses

Belle & Sebastian

Get Me Away From Here I'm Dying

Ooh! Get me away from here I'm dying
Play me a song to set me free
Nobody writes them like they used to
So it may as well be me
Here on my own now after hours
Here on my own now on a bus
Think of it this way
You could either be successful or be us
With our winning smiles, and us
With our catchy tunes, and us
Now we're photogenic
You know, we don't stand a chance

Oh, I'll settle down with some old story
About a boy who's just like me
Thought there was love in everything and everyone
You're so naive!
They always reach a sorry ending
They always get it in the end.
Still it was worth it as I turned the pages solemnly, and then
With a winning smile, the boy
With naivety succeeds
At the final moment, I cried
I always cry at endings

Oh, that wasn't what I meant to say at all
From where I'm sitting, rain
Washing against the lonely tenement
Has set my mind to wander
Into the windows of my lovers
They never know unless I write
"This is no declaration, I just thought I'd let you knowgoodbye"
Said the hero in the story
"It is mightier than swords
I could kill you sure
But I could only make you cry with these words"

Belle And Sebastian

Seres interiores

Quão importantes são nossos afetos? Será que tal indagação se faz oportuna em algum momento menos egoísta? Ou será que esta questão nos bate na cara somente em momentos totalmente indulgentes? E tal indulgência se faz firme e justa ou mesquinha e egoísta? E quanto nossos desafetos? Os vemos como seres imperfeitos como nós mesmos, tão suscetíveis a erros tolos como nós. Ou como demônios dantianos, totalmente sem escrúpulos e merecedores de toda a ira divina e social que se possa manifestar?

E nossos amores? Esses que se parecem mais com seres divinos e/ou angelicais do que propriamente o que são. Seres oriundos do âmago de nossos desejos mais íntimos, de nossas esperanças mais majestosas. Esses sim são pessoas capazes de mudar totalmente o mundo ao nosso redor simplesmente com um sorriso doce. São perfeitos, inquestionáveis, belos, e algumas vezes intocáveis. Ou não?

Como uma chuva pode ser tão doce do lado de um amor, e ao mesmo tempo tão urticante quando esse amor não se faz presente? Como a velha cadeira da sala, que sempre esteve ali, de uma hora para outra passar a ser tão desconfortável? Como uma voz tão diária, de uma hora para outra causa um impacto tão soberbo que transformaria qualquer fenômeno natural em uma simples brisa?

Por que sentimos afeto? Por que sentimos ódio? Por que amamos? Se simplesmente somos medíocres demais para retribuir o afeto, simplórios demais para esquecer o ódio e perdoar, e acima de tudo tão pequenos e baixos que queremos o amor de todos, mais somos totalmente desprovidos da capacidade de nos deixarmos amar e sermos amados.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

SHE'S A SENSATION - Ramones

She's a sensation
She's a sensation
She looks a so sweet

She's a sensation
She's a sensation
Good enough a to eat

She's a sensation oh-oh-oh
She looks a so fine
She's a sensation
She's a sensation
I'm gonna make a her mine

No matter what you do
I give my heart to you
And oh-oh-baby I will give to you
No matter what they say
Yeah, we can find a way
And oh-oh-baby we can find a way

I didn't know it till I walked you home
That, I feel the way I do
And I don't care what the neighbors say
I always will be true
I always will love you
Love you a-wo-wo-wo-wo

Tiny Dancer - Elton John

Blue jean baby, L.A. lady, seamstress for the band
Pretty eyed, pirate smile, you'll marry a music man
Ballerina, you must have seen her dancing in the sand
And now she's in me, always with me, tiny dancer in my hand

Jesus freaks out in the street
Handing tickets out for God
Turning back she just laughs
The boulevard is not that bad

Piano man he makes his stand
In the auditorium
Looking on she sings the songs
The words she knows, the tune she hums

But oh how it feels so real
Lying here with no one near
Only you, and you can hear me
When I say softly, slowly

Hold me closer tiny dancer
Count the headlights on the highway
Lay me down in sheets of linen
you had a busy day today

Blue jean baby, L.A. lady, seamstress for the band
Pretty eyed, pirate smile, you'll marry a music man
Ballerina, you must have seen her dancing in the sand
And now she's in me, always with me, tiny dancer in my hand

But oh how it feels so real
Lying here with no one near
Only you, and you can hear me
When I say softly, slowly

terça-feira, 18 de agosto de 2009

O homem; as viagens

O homem, bicho da Terra tão pequeno
chateia-se na Terra
lugar de muita miséria e pouca diversão,
faz um foguete, uma cápsula, um módulo
toca para a Lua
desce cauteloso na Lua
pisa na Lua
planta bandeirola na Lua
experimenta a Lua
coloniza a Lua
civiliza a Lua
humaniza a Lua.

Lua humanizada: tão igual à Terra.
O homem chateia-se na Lua.
Vamos para Marte
ordena a suas máquinas.
Elas obedecem, o homem desce em Marte
pisa em Marte
experimenta
coloniza
civiliza
humaniza Marte com engenho e arte.

Marte humanizado, que lugar quadrado.
Vamos a outra parte?
Claro
diz o engenho
sofisticado e dócil.
Vamos a Vênus.
O homem põe o pé em Vênus,
vê o visto
é isto?
idem
idem
idem.

O homem funde a cuca se não for a Júpiter
proclamar justiça junto com injustiça
repetir a fossa
repetir o inquieto
repetitório.

Outros planetas restam para outras colônias.
O espaço todo vira Terra-a-terra.
O homem chega ao Sol ou dá uma volta
só para tever?
Não-vê que ele inventa
roupa insiderável de viver no Sol.
Põe o pé e:
mas que chato é o Sol, falso touro
espanhol domado.

Restam outros sistemas fora
do solar a col-
onizar.
Ao acabarem todos
só resta ao homem
(estará equipado?)
a dificílima dangerosíssima viagem
de si a si mesmo:
pôr o pé no chão
do seu coração
experimentar
colonizar
civilizar
humanizar
o homem
descobrindo em suas próprias inexploradas entranhas
a perene, insuspeitada alegria
de con-viver.

Carlos Drummond de Andrade

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

"Não lembro em que momento percebi que viver deveria ser uma permanente reinvenção de nós mesmos — para não morrermos soterrados na poeira da banalidade embora pareça que ainda estamos vivos. Mas compreendi, num lampejo: então é isso, então é assim. Apesar dos medos, convém não ser demais fútil nem demais acomodada. Algumas vezes é preciso pegar o touro pelos chifres, mergulhar para depois ver o que acontece: porque a vida não tem de ser sorvida como uma taça que se esvazia, mas como o jarro que se renova a cada gole bebido. Para reinventar-se é preciso pensar: isso aprendi muito cedo. Apalpar, no nevoeiro de quem somos, algo que pareça uma essência: isso, mais ou menos, sou eu. Isso é o que eu queria ser, acredito ser, quero me tornar ou já fui. Muita inquietação por baixo das águas do cotidiano. Mais cômodo seria ficar com o travesseiro sobre a cabeça e adotar o lema reconfortante: "Parar pra pensar, nem pensar!" O problema é que quando menos se espera ele chega, o sorrateiro pensamento que nos faz parar. Pode ser no meio do shopping, no trânsito, na frente da tevê ou do computador. Simplesmente escovando os dentes. Ou na hora da droga, do sexo sem afeto, do desafeto, do rancor, da lamúria, da hesitação e da resignação. Sem ter programado, a gente pára pra pensar. Pode ser um susto: como espiar de um berçário confortável para um corredor com mil possibilidades. Cada porta, uma escolha. Muitas vão se abrir para um nada ou para algum absurdo. Outras, para um jardim de promessas. Alguma, para a noite além da cerca. Hora de tirar os disfarces, aposentar as máscaras e reavaliar: reavaliar-se. Pensar pede audácia, pois refletir é transgredir a ordem do superficial que nos pressiona tanto. Somos demasiado frívolos: buscamos o atordoamento das mil distrações, corremos de um lado a outro achando que somos grandes cumpridores de tarefas. Quando o primeiro dever seria de vez em quando parar e analisar: quem a gente é, o que fazemos com a nossa vida, o tempo, os amores. E com as obrigações também, é claro, pois não temos sempre cinco anos de idade, quando a prioridade absoluta é dormir abraçado no urso de pelúcia e prosseguir, no sono, o sonho que afinal nessa idade ainda é a vida. Mas pensar não é apenas a ameaça de enfrentar a alma no espelho: é sair para as varandas de si mesmo e olhar em torno, e quem sabe finalmente respirar. Compreender: somos inquilinos de algo bem maior do que o nosso pequeno segredo individual. É o poderoso ciclo da existência. Nele todos os desastres e toda a beleza têm significado como fases de um processo. Se nos escondermos num canto escuro abafando nossos questionamentos, não escutaremos o rumor do vento nas árvores do mundo. Nem compreenderemos que o prato das inevitáveis perdas pode pesar menos do que o dos possíveis ganhos. Os ganhos ou os danos dependem da perspectiva e possibilidades de quem vai tecendo a sua história. O mundo em si não tem sentido sem o nosso olhar que lhe atribui identidade, sem o nosso pensamento que lhe confere alguma ordem. Viver, como talvez morrer, é recriar-se: a vida não está aí apenas para ser suportada nem vivida, mas elaborada. Eventualmente reprogramada. Conscientemente executada. Muitas vezes, ousada. Parece fácil: "escrever a respeito das coisas é fácil", já me disseram. Eu sei. Mas não é preciso realizar nada de espetacular, nem desejar nada excepcional. Não é preciso nem mesmo ser brilhante, importante, admirado. Para viver de verdade, pensando e repensando a existência, para que ela valha a pena, é preciso ser amado; e amar; e amar-se. Ter esperança; qualquer esperança. Questionar o que nos é imposto, sem rebeldias insensatas mas sem demasiada sensatez. Saborear o bom, mas aqui e ali enfrentar o ruim. Suportar sem se submeter, aceitar sem se humilhar, entregar-se sem renunciar a si mesmo e à possível dignidade. Sonhar, porque se desistimos disso apaga-se a última claridade e nada mais valerá a pena. Escapar, na liberdade do pensamento, desse espírito de manada que trabalha obstinadamente para nos enquadrar, seja lá no que for. E que o mínimo que a gente faça seja, a cada momento, o melhor que afinal se conseguiu fazer".

Lya Luft