segunda-feira, 30 de agosto de 2010

La passione per una ragazza

A música italiana já é apaixonante por si própia. O sotaque italiano traz charme e intensidade. Aqui está uma das músicas mais bonitas que já ouví na voz de Sergio Endrigo, o Crota mais Italiano que já conheci.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Bombay Bicycle Club

Bem legal!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Entra um dia e outro

Entre, não bata, invada, deixe seguir
Deixar, calar, viver, mentir
Entre chama e a água, entre vela e gelo
Deitar, amar, quebrar, sentir.

Apareçe, desapareçe
É louco, é gentil
Dando forma a cor
Dando vida a dor.

Noite, dia, tarde
Tarde demais
Ou demais o dia.

Fuja, diga, venha, esqueça
Onde for, vai lembrar, onde parar vai pedir
Minha dor, sua dor, minha cruz , sua cruz
Sua rosa, nosso espinho.

Entre uma rua e outra,
Entre uma curva e outra
Entre o lábio e outro
Entra um dia e outro...



Germano Gomes

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A Via Láctea

"Quando tudo está perdido
Sempre existe um caminho
Quando tudo está perdido
Sempre existe uma luz...

Mas não me diga isso...

Hoje a tristeza
Não é passageira
Hoje fiquei com febre
A tarde inteira
E quando chegar a noite
Cada estrela
Parecerá uma lágrima...

Queria ser como os outros
E rir das desgraças da vida
Ou fingir estar sempre bem
Ver a leveza
Das coisas com humor...

Mas não me diga isso...

É só hoje e isso passa
Só me deixe aqui quieto
Isso passa
Amanhã é um outro dia
Não é?...

Eu nem sei porque
Me sinto assim
Vem de repente um anjo
Triste perto de mim...

E essa febre que não passa
E meu sorriso sem graça
Não me dê atenção
Mas obrigado
Por pensar em mim...

Quando tudo está perdido
Sempre existe uma luz
Quando tudo está perdido
Sempre existe um caminho...

Quando tudo está perdido
Eu me sinto tão sozinho
Quando tudo está perdido
Não quero mais ser
Quem eu sou...

Mas não me diga isso
Não me dê atenção
E obrigado
Por pensar em mim...

Não me diga isso
Não me dê atenção
E obrigado
Por pensar em mim..."

terça-feira, 6 de julho de 2010

Nosso Estranho Amor

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Ben Harper - When She Believes

Beirut - Elephant Gun

terça-feira, 29 de junho de 2010

Opção

Um dia, uma dúvida, várias palavras
Uma conduta.
Nem com todo amor se cura, nem com toda dor se mucha
É a certeza e o não, é o prazer e o fim.

A estrada que não se faz, a idade que trai
A verdade que é sua, a mentira que é nua.
E do ego se faz o gozo, e da prece se dá a mão.

Como todo dilúvio, o pingo é só começo
O chão a inundação
Abre os braços, pede abrigo
Abre a blusa pede perdão
Fecha o riso que está timido
Fecha a mão com intenção.

Tristeza será?
Liberdade talvez?
Agonia em estar
Tentativa de não ter.

Germano Gomes

terça-feira, 8 de junho de 2010

Such Great Heights - Iron & Wine

terça-feira, 1 de junho de 2010

PARAMORE - Use Somebody

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Norte

Do dia se tira o amargo gosto do acaso
Se nota o contínuo e o estático
A força que une e que afasta
O mal que permeia e se deseja.

Eis que das cinzas não há mais pó
Do não dito pelo dito
Da cadência pelo samba não criaodo
Da decência seu desconforto.

O pavor que aflora e que intimida
A Ilusão da palavra, maldita.

Cega na luz que não enxerga
Intrusa do que não permite
Frígida do pleno prazer
Voraz sem nunca ter sido.

É só um caminho visto, é o único a ser seguido
Num casulo só seu, que não fermenta, que não gera
E única verdade que tens é a certeza de não poder, de não ser.

Germano Gomes

sábado, 30 de janeiro de 2010

Me Explica

Me explica
Havia você e o céu
Havia você e o mar
E já não há
Me explica
Me diz onde vim parar
Pois quem sempre esteve aqui
Já não está
Querem saber
Como é estar aqui
Lembrar e esquecer
Como sobrevivi
Querem saber Se já me sinto bem
Eu digo: melhor
Pra sempre tão só
Mal posso imaginar
Que não há mais ninguém
Que vá ficar em seu lugar
Me diz qual a razão
Pra eu não ir também
Me diga já
Onde ele está

Pato Fu
"A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca
dourada e inútil das horas.
Desta forma, eu digo:
Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo, pois a
única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará
mais."

Mário Quintana